Síndrome do Intestino Irritável – sintomas e tratamento


Síndrome do Intestino Irritável

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é o nome dado a um conjunto de sintomas que normalmente envolvem dor e distensão abdominal, e a alternância de períodos de constipação e diarreia. Assim, um forte sinal que se está sofrendo com o problema, é notar alterações constantes no funcionamento intestinal.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia, a Síndrome do Intestino Irritável é uma doença funcional, já que não apresenta anormalidades estruturais e bioquímicas em exames laboratoriais e de imagem.

Aproveite para acessar o setor de Saúde Intestinal e Digestiva da Anagallis.

O que causa a Síndrome do Intestino Irritável?

A causa da Síndrome do Intestino Irritável não se encontra totalmente esclarecida, mas a comunidade médica admite se tratar de um distúrbio multifatorial que relaciona alterações neurológicas e intestinais.

Especialistas acreditam que o problema está relacionado a uma hipersensibilidade visceral que pode ser agravada pela ingestão de certos alimentos.

Em algumas pessoas, os sintomas da Síndrome do Intestino Irritável começam após um episódio de gastroenterite – infecção intestinal caracterizada por diarreia, cólicas, náuseas, vômito e febre.

Determinadas refeições, como as altamente calóricas, podem ser desencadeadoras do problema, ou ainda, uma rotina alimentar que inclui farinha branca, laticínios, feijão, chocolate, café, determinados adoçantes artificiais, e até mesmo algumas frutas e verduras parecem agravar os sintomas.

Assim, os fatores que desencadeiam ou agravam o problema variam de pessoa para pessoa, mas de um modo geral, sabe-se que a SII tem ligação com fatores emocionais, dieta, medicamentos e hormônios.

Síndrome do Intestino Irritável – sintomas

Os portadores da Síndrome do Intestino Irritável relatam desconfortos abdominais constantes seguidos de um ou mais dos sintomas a seguir:

  • Alterações do hábito intestinal – constipação ou diarreia;
  • Alívio total ou parcial da dor abdominal após a evacuação;
  • Distensão abdominal e gases.

Ainda de acordo com a SBMDN, os sintomas podem ocorrer durante meses, e se confundem com os que ocorrem em outras afecções do trato gastrointestinal, o que dificulta o diagnóstico de SII.

Como é possível um diagnóstico correto?

Ao notar as alterações mencionadas acima, de forma persistente, é necessário consultar um médico de confiança para uma avaliação cuidadosa do quadro. O diagnóstico da Síndrome do Intestino irritável é clínico, e alguns exames podem ser solicitados apenas para a exclusão de outras possíveis doenças. De acordo com a intensidade dos sintomas, o médico também poderá solicitar uma pesquisa de supercrescimento bacteriano do intestino delgado (SCBID).

Ao ser diagnosticada e abordada adequadamente, a Síndrome do Intestino irritável costuma ter boa remissão, sem causar complicações.

Conheça o suplemento natural Biointestil – um grande aliado da saúde intestinal.

Como é o tratamento da SII?

O ideal para controle dos sintomas, é tentar buscar quais alimentos ou bebidas podem estar relacionados à piora do problema. Assim, após o diagnóstico clínico, é imprescindível que o paciente seja encaminhado a um nutricionista, o qual poderá orientar adequadamente em relação à dieta.

Assim como os sintomas e fatores desencadeadores diferem de pessoa para pessoa, o tratamento também é assim. De um modo geral, é aconselhável evitar alimentos que produzem gases e causam diarreia, e é benéfico aumentar o consumo de fibras e de água ao observar episódios de constipação. Em alguns casos, o médico poderá orientar a administração de medicamentos.

Manter um estilo de vida equilibrado e praticar atividades físicas regulares, também são hábitos que fazem parte da melhora do quadro na maioria dos pacientes.

Medicamentos para Síndrome do Intestino Irritável

Os medicamentos podem incluir, de acordo com a orientação de um médico em cada caso específico, laxantes, anticolinérgicos, antidiarreicos, antibióticos, antidepressivos e probióticos.

A psicoterapia também pode ser recomendada para auxiliar no tratamento, promovendo ótimos resultados.

 

Fontes consultadas: Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia (SBMDN) | Manual MDS.

Deixe seu comentário.